fbpx
14 abr

Você já pensou em ser um enfermeiro de resgate?

Responsável por prestar os primeiros socorros à vítimas em um acidente – e garantir que elas cheguem vivas até o hospital – o enfermeiro de resgate atua junto à equipe de salvamento, ou seja, bombeiros, policiais etc.

Por isso, todos os passos do enfermeiro de resgate (ou enfermeiro socorrista) devem ser milimetricamente calculados, para que não ocorra atrasos nos procedimentos. Neste contexto, tudo – viaturas, equipamentos, materiais para a desinfecção correta, Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) – deve estar preparado para uma nova chamada de urgência ou emergência.

É muito importante ressaltar que, para atuar como enfermeiro de resgate, é preciso ter muito equilíbrio emocional e autocontrole, pois terá de viver constantemente com a iminência da morte de um paciente.

O profissional que opta por essa área da saúde precisa ter: compaixão, vontade de ajudar uma pessoa em situação de risco, habilidades interpessoais, disciplina para cumprir ações orientadas, ser capaz de garantir sua própria segurança e a da vítima.

Para ser um socorrista é necessário ter uma formação especial e estar bem preparado para o atendimento à vítima. Portanto, ter capacidade de avaliar os riscos envolvidos no acidente e ter criatividade para lidar com a limitação de equipamentos, espaços reduzidos da ambulância e agilidade para trabalhar contra o tempo, são habilidades essenciais, totalmente necessárias para quem sonha em fazer parte da equipe de resgate.

Como se tornar um enfermeiro de Resgate?

Antes de começar a trabalhar na equipe de resgate, é necessário realizar vários cursos e treinamentos, que ensinam como se deve responder em uma emergência. A primeira etapa a ser realizada – após obter o diploma de graduação em Enfermagem – é conquistar a certificação TEM (Técnico em Emergências Médicas).

Como este curso não é um curso reconhecido pelos órgãos brasileiros competentes, ele pode ser oferecido por qualquer instituição formal, como um curso de capacitação ou de extensão, para qualquer pessoa que tenha interesse em atuar na área.

Para conseguir fazer parte da equipe de socorrista, é preciso concluir o curso TEM-I e todo o extensivo curso de treinamento em suporte avançado à vida.

Os cursos básicos e avançados de TEM são oferecidos por empresas certificadas e se dividem basicamente em três categorias: 

TEM-B: Técnico em Emergências Médicas-Básico, que realiza procedimentos simples de emergência, como o suporte básico de vida (SBV), para socorrer uma pessoa que esteja sofrendo de falência respiratória e/ou circulatória.

TEM-I: Técnico em Emergências Médicas-Intermediário que habiita para realizar procedimentos de SBV e alguns procedimentos invasivos sob supervisão.

TEM-A: Técnico em Emergências Médicas-Avançado, que é o socorrista habilitado para realizar procedimentos invasivos e ministrar medicamentos sob supervisão médica indireta.

A profissão do enfermeiro de resgate com certeza é muito gratificante, mas requer dedicação e tempo de estudo e treinamento. O campo de trabalho é amplo e muito promissor, pois o número de equipes de resgate ainda é muito pequeno no Brasil, mas tende a aumentar nos próximos anos.

A rotina de trabalho varia de acordo com a atuação e formação de cada profissional; em geral, é de 12 a 24 horas para médicos e de 12 horas (com 36 horas de folga) para enfermeiros.

Conhece alguém que tenha vocação para essa área ou que gostaria de ingressar nesse importante segmento da saúde? Compartilhe esse texto com essa pessoa!

Posts Relacionados

Deixe um comentário

× Como posso te ajudar?